Search

Carregando...

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Psicologia por trás dos quartos bagunçados: Por que as pessoas mais criativas surgem na bagunça

Durante toda nossa vida fomos ensinados a ser organizados. Organização sempre foi tratada como a chave para o sucesso.
Seja na escola, em casa ou na sua mochila de viagem, organização é algo que vive no nosso pé desde que nascemos. Em contrapartida, uma pessoa bagunceira sempre foi condenada e tratada como se fosse encaminhada para o fracasso. E de fato, não tem como refutar isso.
O que pode se extrair de bom de ser desorganizado? Bem, talvez mais do que você imagina. Estudos recentes, conduzidos pela Universidade de Minnesota em 2013, criaram outra postura no debate: os favoráveis à bagunça.
Sempre houve meio que uma lenda urbana de que as pessoas com mesas bagunçadas tem uma afinidade alta com o pensamento criativo. Francamente, eu pensava que pessoas bagunceiras TINHAM que ser criativas além do necessário. Tem que ser bem criativo pra sobreviver no meio de tanta bagunça.
Simulado da semana passada, pela metade, num canto da mesa. Uma folha de jornal perto dum molho de pimenta. Latinhas de coca-cola e cerveja organizadas em pirâmides, meio que uma obra de arte.
Sua mesa é uma bagunça, mas é SUA bagunça, logo, tá tudo sob controle. Quando você tem o hábito de falhar em colocar as coisas nos seus devidos lugares, você cria formas criativas de achar tudo, de fazer tudo funcionar, de encaixar tudo. E é gostoso, é confortável.
Pode parecer totalmente aleatório para as quem olha fora, mas uma pessoa bagunceira é extremamente metódica, respeitando a si mesmo.
A cientista psicológica Kathleen Vohs, da Universidade de Minnesota, a mulher que começou a desmistificar essa lenda urbana, não se limitava apenas à mesa de trabalho. Vohs era nitidamente uma pessoa bagunceira, em todos os aspectos da vida, mas era do tipo bagunceira criativa.
Usando um paradigma consistindo em uma sala bagunçada e uma organizadinha, e experiências, Vohs concluiu que a sala bagunçada provoca raciocínios criativos com uma frequência muito maior – e forneceu evidências científicas!
A próxima questão é: O que exatamente é “raciocínio criativo” e como sua zona no seu quarto vai te ajudar?
Raciocínio criativo é, na sua forma mais pura, pensar fora da caixa. Olhando por esse lado não é nada extraordinário considerar que quartos tendo coisas em lugares totalmente inusitados te induziria a ser mais criativo.
Quer dizer, se você prefere colocar suas roupas limpas no chão do quarto quando o armário tá logo ali, você certamente pensa fora dos padrões comuns de raciocínio. Esse mesmo conceito pode ser aplicado de forma mais abstrata.
Vamos usar essa frase do Einstein: “Se uma mesa bagunçada é sinal de uma mente desordenada, o que é, então, o sinal de uma mesa vazia?”
Sim, você imaginou certo. A mesa de Einstein parecia fruto da missão bem-sucedida de uma ex-namorada pronta pra estraçalhar a vida de um coitado, e é inegável que Einstein era uma pessoa extremamente criativa.
Einstein não está só nessa. Mark Twain também tem uma mesa bem bagunçada.
Talvez mais bagunçada que a do Einstein. Mark Twain foi uma das mentes mais imaginativas da sua geração.
Não se interessa por essas mentes de geração anterior? OK, vou dar um exemplo mais moderno. Steve Jobs. Não foi sem razão que ele inventou iBooks, sua mesa era um desastre total. Não só sua mesa, mas seus livros e seu escritório todo. Provavelmente isso só acrescentou valor ao seu brilhantismo.
E aí, o que extrair disso tudo? Que você deve zonear sua mesa, seu quarto e esperar por uma fagulha de genialidade? Não exatamente. A relação entre bagunça e criatividade não é algo casual assim. Virar uma pessoa bagunceira não vai te fazer dormir e acordar mais criativo no dia seguinte.
Entretanto, ambas as caracterítsticas são correlacionadas. Se você é “bagunceiro por natureza”, achar um meio termo entre sua bagunça e a limpeza pode ser o mais eficaz. Mas tenha em mente que arrumar tudo pode diminuir seus esforços criativos.
Definitivamente a única forma de trabalhar a eficácia da sua criatividade bagunceira é dar a cara a tapa e experimentar coisas novas. Vá, faça chuva de papéis, recolha a roupa e jogue tudo encima da cama, dane-se! Vai que rola algo bom. :)
fonte: http://alexm.com.br/2014/08/18/psicologia-por-tras-dos-quartos-baguncados-por-que-as-pessoas-mais-criativas-surgem-na-bagunca/

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Dia de Faxina...


Estava precisando fazer uma faxina em mim...Jogar alguns pensamentos indesejados fora, lavar alguns tesourosque andavam meio que enferrujados...Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões...Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei.Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li.Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas... e as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas.Fiquei sem paciência!...Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão:paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste...Mas lá também havia outras coisas... e belas!Um passarinho cantando na minha janela...Aquela lua cor de prata, o pôr do sol...Fui me encantando e me distraindo, olhando para cadauma daquelas lembranças.Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou.Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmoou se mando para o lixão.Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante:o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentosque mais precisamos..Como foi bom relembrar tudo aquilo!!!Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança,passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar...e de RECOMEÇAR...

sábado, 6 de julho de 2013

Olá...



Passando por aqui, depois de quase 6 meses de imensa falta de internet...
Bom, estou muito feliz, com as realizações que Deus proporcionou para minha vida. Estou na faculdade, cursando Psicologia, estou muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito realizada... Aff, era um sonho que eu já tinha decretado como falido... Estou de volta (de verdade) nos braços do meu Pai querido, meu Deus, meu tudo, e graças a eu ter me rendido aos pés do meu Senhor, é que estou vivendo tantas coisas hoje!
Ai você me pergunta se não tenho problemas, por estar tao confiante que Deus está fazendo tudo isso em minha vida, e eu te respondo: É CLARO QUE TENHO PROBLEMAS! Talvez, eles tenham até dobrado o tamanho, mas, Deus está comigo. E, se não tivesse problema algum, e tudo estivesse ocorrendo assim mesmo, aí sim, eu diria que teria algo errado.
Só sei que da condição que estou, não quero nunca mais me deixar sair, e sei que Ele não permitirá sair...
Queria que todo mundo sentisse e vivesse essa 'loucura' que vivo... É muito bom!!!
Bom, por hj é só pessoal!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

CENOURA, OVO OU CAFÉ?



Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer, queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia. Seu pai, "um chef", levou-a até a cozinha dele. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Logo as panelas começaram a ferver. Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na ultima pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Pescou as cenouras e as colocou em um prato. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma caneca. Virando-se para ela, perguntou: Querida o que você está vendo? Cenouras, ovos e café, ela respondeu. Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. Ele então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse. Ela obedecera e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café. Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso. Ela perguntou: o que isto significa, pai? Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, a água fervendo, mas que cada um reagira de forma diferente. A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida a água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil. Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o liquido interior. Mas após terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo. O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora jogado na água fervente, ele havia mudado a água. Qual deles é você? Perguntou o pai a sua filha. Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde? Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café? Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde a sua força? Será que você é como o ovo, que começa com um coração maleável, mas depois de uma adversidade, você se torna mais difícil e duro? Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexíveis? Ou será que você é como o pó de café, que muda a água fervente, a coisa que está trazendo a dor, para conseguir o Máximo de seu sabor? SEJA COMO O PÓ DE CAFÉ, MUDE A ADVERSIDADE EM ALGO POSITIVO!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Existe Amor Pra Vida Inteira?




Sempre fui muito romântica, tipo a Laurinha do carrossel (rs)...
Mas a gente cresce e vê que nem tudo são flores... E o amor, nos reserva surpresas inesquecíveis...
Nunca tive um exemplo de felicidade (entre casais) dentro de casa... Meu pai era um ogro, e minha mãe trabalhava muito, para nos vestir e alimentar, mesmo meu pai não nos deixando faltar nada, (só carinho).
Quando cresci, e eles se separaram, nós fomos morar com minha mãe, e conhecemos coisas que JAMAIS eles iriam permitir que nós conhecesse-mos.
Aprendi a beber, a fumar e os sintomas que as drogas causavam...
Aprendi a mentir, enganar, esconder e até 'roubar'...
Aprendi a gostar das pessoas e de mim, até tive meu 1º namorado... (abafa!)
Conheci diversos tipos de pessoas, principalmente depois que minha mãe se casou de novo...
Nesse meio tempo, meu irmão mais velho começou a vida errada e foi preso...
Sofremos muito, nós, os filhos dele, a esposa...
Eu, como era de maior e 'diponível', ia visitá-lo pra levar os filhos dele... Uma vez por semana... Durante 6 meses... Era sofrido, mais eu gostava... Pois eu via meu irmão, e conhecia coisas que só via na tv... Conversava o dia todo, ria muito, ganhava uns presentes... Mas não comia....(rs)
Meu irmão foi transferido para o interior... Ficou mais difícil para vê-lo... E, assim, não poderia mais levar meus sobrinhos...
Ele me escrevia toda semana, e mais uns 10 rapazes que não tinham visita... Eu ria horrores com as historias deles, era só amizade mesmo, nada de mais....
Mesmo sabendo de tudo o que acontecia com meu irmão, meu padrasto e alguns amigos, eu continuava fazendo tudo o que aprendi... O que é proibido 'é mais gostoso'... Não tinha medo de nada, nem tinha nada a perder...
Num certo dia, fui com minha cunhada visitar meu irmão, estávamos conversando e bebendo refrigerante... De repente, entrou um cara na cela, alto (lindo), loiro, com os olhos da cor do céu (os mais lindos que já vi!!!), com uns trabalhos de crochet na mão... Pra ser sincera, não consegui prestar atenção em nada...
Ele tinha um sotaque engraçado... Passamos o restante da tarde falando dele (eu e minha cunhada)...
Na hora de ir embora, meu irmão disse que ele pediu pra eu escrever pra ele... Eu disse que não... E demorei 2 meses pra escrever pra ele... Por fim mandei a carta mais mal feita da minha vida...
Mas, 2 dias depois, recebi a resposta dele... ME APAIXONEI!!!
Ficamos conversando por cartas durante longos 8 meses, até que fui ver 'meu irmão' de novo...
Nesse dia, ele passou a tarde com a gente, parecia que eramos amigos de infância... No fim da tarde rolou até um beijo... (aff!)
No outro dia, já andamos de mãos dadas e tudo... kkk
Depois desse dia, não paramos mais de nos falar...
Ele nunca me iludiu... Mas sempre me fez manter os pés bem fixos no chão... Brigou comigo quando me iu fumando... E disse que se soubesse que eu estava bebendo, fumando 'ou fazendo outras coisas', não ficaria mais comigo...
Não pensei 1/2 vez, parei com tudo... Ficamos juntos por 2 anos... Só terminamos, porque ele descobriu que abri mão da faculdade pra ficar com ele, ai ele veio com a história de que estava 'estragando' minha vida...
Sofri horrores... Chorei 1 mês... Me desliguei do mundo, de tudo e de todos...
Voltei a fumar e a beber...
Ficamos 11 meses sem nos falar. Aí fui visitar meu irmão, e o vi, com a mãe dele... Ele veio e me deu um abraço... Flutuei... Mas não voltamos... (:poop:)
Começamos a nos corresponder de novo, porém como amigos. Ele estava namorando. Eu não...
Depois de 2 anos, meu irmão foi transferido. Pensei que fosse o fim, pois não o veria mais...
Um certo dia, ele me mandou uma carta, perguntando se eu queria voltar com ele...
Aceitei!
Nessa época eu trabalhava em casa de família, como doméstica e babá... Eu o via 1 vez por mês... E era ótimo... Conversávamos sobre tudo... Às vezes, perdíamos a hora conversando... Era muito bom... Apesar de tudo SOMOS muito amigos...
Comecei a trabalhar... Meu trabalho exigia todo meu tempo... Eu viajava muito... Iludida com a 'nova vida', pedi um tempo... Nesse tempo, só nos falávamos por cartas, que eu comecei a responder 1 por mês... Comecei a deixá-lo de lado... Era horrível, queria conversar com alguém e não tinha ninguém, NÃO TINHA ELE...
Terminei de novo... E dessa vez fui eu...
Como sempre, mesmo em 'doses homeopáticas', nos falávamos por carta...
Passados alguns meses, comecei a namorar outra pessoa, e ele também... Quando eu tinha algum problema, falava com ele e ele me contava os dele...
Depois de 4 meses, vi que não era pra mim... Terminei... E pra minha surpresa, ele também...
Voltamos de novo, só que não nos víamos muito... Dessa vez, mais por cartas mesmo...
Concluindo...
Ele É O AMOR DA MINHA VIDA... mesmo ele estando preso, e o mundo todo querendo 'enfiar' na minha cabeça que ele não é para mim, QUEM JÁ CONSEGUIU MANDAR NO CORAÇÃO?
E  com tantas idas e vindas nesses 8 anos, não afetaram 1 grama do meu amor por ele... Pelo contrário, só aumentou e fortificou...
Se vamos ficar juntos de novo? Não sei...
Se é permissão/vontade de Deus que isso aconteça? Espero que sim... (rs)
Mas, infelizmente, não tenho como saber...
Com tudo o que aconteceu nossas 'pedras' se encontraram diversas vezes... E o mundo não é 'redondo' por acaso...
Então, de certo, só tenho o meu amor por ele...
Só me resta esperar...

E se isso for Amor de verdade, digo com toda certeza, que AMOR PRA VIDA INTEIRA EXISTE!!!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A nota de 100 reais...


Outro dia, vi essa mensagem, achei interessante, não foi exatamente com essas palavras, mais a intenção foi a mesma... Aí, no culto outro dia, falaram da mesma maneira, acho que foi uma forma de Deus me mostrar que a maneira como eu estava me vendo, não era a que Ele planejou pra mim...
Pesquisando algumas coisas essa semana, achei de novo essa mensagem... Então pude ter certeza!!!

#lireligosteicopieiepostei...



Alfredo, com o rosto abatido de tristeza, marca um encontro com sua amiga Marisa para tomar um café. Ela sempre foi uma grande amiga que ouve seus desabafos quando ele está triste.
Quando se encontram, ele desabafa contando para ela suas angústias, seus problemas com o trabalho, problemas financeiros, problemas no casamento. Ele diz a ela que parece que tudo andava mal em sua vida. Sua amiga Marisa abriu a bolsa, tirou uma nota de 100 reais e lhe disse:
- Alfredo, você aceita este dinheiro?
Alfredo, um pouco confuso a princípio, imediatamente responde:
- Claro, Marisa, são 100 reais, quem não aceitaria?

Então Marisa pegou a nota de 100 reais que já estava nas mãos de Alfredo e amassou-a toda, fazendo com ela um montinho de papel. Mostrando-lhe o bolinho de papel amassado, Marisa perguntou-lhe novamente:
- E agora, ainda aceita esta nota?
- Marisa, não sei o que pretende com isto, mas continua sendo uma nota de 100 reais; é claro que a aceito...
Então Marisa desenrolou a cédula toda amassada, jogou-a no chão, pisou-a, esfregou-a com os pés e pegou-a toda suja:
- Você ainda aceita esta nota?
- Marisa, continuo sem entender o que você está querendo... Mesmo suja esta nota continua valendo 100 reais!
- Veja, Alfredo, você deve saber que mesmo quando as coisas não saiam como você deseja, mesmo que a vida lhe amasse e pisoteie, você CONTINUA sendo tão valioso como sempre o foi... O que você deve se perguntar é QUANTO você vale de fato, em qualquer circunstância.

Alfredo ficou olhando para Marisa sem nada responder enquanto o impacto da mensagem penetrava profundamente em seu coração. Marisa pôs a nota amassada de 100 reais no canto da mesa e com um sorriso cúmplice acrescentou:
- Tome, guarde com você para recordar isto quando se sentir mal... Mas me deve uma nota NOVA de 100 reais para poder usar com o próximo amigo que estiver necessitando desabafar como você
Marisa deu um beijinho no rosto de Alfredo que ainda não havia pronunciado nenhuma palavra. Levantou-se e dirigiu-se em direção à porta.
Alfredo voltou a olhar para a nota de 100 reais amassada, sorriu, guardou-a na carteira e com renovada energia chamou o garçom para pedir a conta...
Pense um pouco sobre quantas vezes você duvidou do seu próprio valor, do que você realmente pode conseguir em sua vida se fizer um esforço em vez de só ficar reclamando que a vida não está boa....
Você pode sonhar com a situação que deseja alcançar, ter esperança, mas você precisa agir, precisa fazer alguma coisa para chegar até seu objetivo. Você sabe que pode atingir o que deseja e que existem muitos caminhos para alcançá-lo.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Que lindo, quero um amor assim...

Vi isso num mural do face, e achei top...
#ligosteicopieipostei





O VERDADEIRO AMOR

Um famoso professor se encontrou com um grupo de jovens que falava contra o casamento.
Argumentavam que o que mantém um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga, em vez de se submeter à triste monotonia do matrimônio.
O mestre disse que respeitava sua opinião, mas lhes contou a seguinte história:

“Meus pais viveram 55 anos casados. Numa manhã minha mãe descia as escadas para preparar o café e sofreu um enfarto.
Meu pai correu até ela, levantou-a como pôde e quase se arrastando a levou até à caminhonete.
Dirigiu a toda velocidade até o hospital, mas quando chegou, infelizmente ela já estava morta.
Durante o velório, meu pai não falou.
Ficava o tempo todo olhando para o nada. Quase não chorou. Eu e meus irmãos tentamos, em vão, quebrar a nostalgia recordando momentos engraçados.
Na hora do sepultamento, papai, já mais calmo, passou a mão sobre o caixão e falou com sentida emoção: “- Meus filhos, foram 55 bons anos…Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não tem idéia do que é compartilhar a vida com alguém por tanto tempo.”
Fez uma pausa, enxugou as lágrimas e continuou: “- Ela e eu estivemos juntos em muitas crises.
Mudei de emprego, renovamos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade.
Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos concluírem a faculdade, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiam. Oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, e perdoamos nossos erros…
Filhos, agora ela se foi e estou contente. E vocês sabem por que? Porque ela se foi antes de
mim e não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só depois da minha partida. Sou eu que vou passar por essa situação, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim… “
Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas. Nós o abraçamos e ele nos consolava, dizendo: “Está tudo bem, meus filhos, podemos ir para casa.”
E, por fim, o professor concluiu: Naquele dia entendi o que é o verdadeiro amor. Está muito além do romantismo, e não tem muito a ver com o erotismo, mas se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas.

Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar.
Pois esse tipo de amor era algo que não conheciam.
O verdadeiro amor se revela nos pequenos gestos, no dia-a-dia e por todos os dias.
O verdadeiro amor não é egoísta, não é presunçoso, nem alimenta o desejo de posse sobre a pessoa amada.

“Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado com certeza chegará mais longe e terá a indescritível alegria de compartilhar, alegria esta que a solidão nega a todos que a possuem…”

 


Menu